Procrastinar: lê este artigo. Ou vais deixar para amanhã?

Olá! ????
Provavelmente muitas de vocês já ouviram falar de procrastinação e, quem sabe, algumas de vocês… fazem dela uma rotina diária e ainda não se deram conta.


Eu sou uma procrastinadora em recuperação. ????
Começo por definir procrastinação; é o ato de estar sempre a adiar uma ação ou tarefa.


No meu caso concreto, confesso que tenho alguma dificuldade em gerir o meu tempo da forma mais adequada e não poucas vezes, dou por mim a adiar tarefas que considero importantes, em detrimento de outras sem grande relevância para a minha vida.

Frases como:

  • Devia mesmo fazer aquele relatório que tenho que entregar daqui a dois dias…, mas antes vou ver se tenho mails e enviar alguns que tenho pendentes de resposta.
  • Devia mesmo fazer exercício físico, mas os meus dias são tão ocupados e ando sempre tão cansada…este mês não dá, no próximo tudo correrá melhor e irei inscrever-me no ginásio.
  • Aquele curso é tão importante para o meu crescimento pessoal e profissional…agora não vai dar, vou organizar os meus horários primeiro, assim que abriram o curso novamente serei a primeira a inscrever-me.

Se frases como estas te são familiares recorrentemente, muito provavelmente és uma procrastinadora.

A verdade é que se por um lado, a procrastinação nos dá uma sensação de alívio momentâneo, por outro lado, os sentimentos de culpa que nos assolam são bastante mais presentes e incomodativos.

É “normal” adiar algumas tarefas de vez em quando, por falta de tempo, porque acontecem imprevistos, porque não é financeiramente oportuno, porque naquele dia não nos apetece etc. Isto não é procrastinação.

Procrastinar é adiar recorrentemente tarefas ou ações importantes para a nossa vida com dispêndio de tempo valioso em coisas que muitas vezes não acrescentam qualquer valor.

Sempre que procrastino, vivo um conflito interno imenso, pois sinto-me imensamente culpada por estar a adiar coisas que reconheço serem importantes, mas, por motivos que nem sempre consigo explicar, continuo a fazê-lo.

Inclusive, já procrastinei ações que queria muito fazer e que sabia que me iriam fazer muito feliz., como por exemplo, publicar as coisas que escrevo.

Acredito que isto está relacionado com medos e crenças limitadoras.

A minha necessidade de perfeição, leva-me a que muitas vezes coloque expetativas tão altas naquilo que faço, que acabo por não fazer nada, por receio de falhar ou não conseguir fazer suficientemente bem.

Estou a fazer um esforço grande para alterar este padrão, pois como já referi várias vezes, para mim Tempo é o bem mais precioso que temos.

Vou dar-te algumas dicas sobre estratégias que podes utilizar – são as que utilizo – para te ajudar a evitar a procrastinação. No entanto, devo alertar-te que deves moderar as tuas expetativas, pois a procrastinação é um padrão, por isso, não vais conseguir alterá-lo da noite para o dia, deves ser perseverante, aceitar falhas e dessa forma irás gradualmente criando novos padrões de comportamento em relação a este tema.

Sabes que estás a procrastinar se:

  • Relegas todas as tarefas importantes para segundo plano e passas horas a ver televisão, a navegar nas redes sociais ou a ler mails, desculpando-te sempre que imediatamente a seguir iniciarás a tarefa que é realmente importante.
  • Quando estás pronta para iniciar uma tarefa importante, mas de imediato decides fazer outra coisa antes (ver se tens mensagens, tomar café, arrumar a tua mesa de trabalho).
  • Se vais deixando pendentes dias e dias a fio, tarefas que sabes serem importantes, com a desculpa que falta sempre qualquer coisa.
  • Quando adias o início da tarefa porque achas que nunca é o momento certo para começar ou porque não te sentes inspirada.

Perceberes o porquê de estares a adiar tarefas que tu própria reconheces que tens que fazer e que são importantes, é crucial se quiseres alterar esse padrão.

Pode haver vários motivos:

  • Pode ter a ver com o facto da tarefa ser desagradável ou pouco interessante, complexa ou exigir demasiado esforço.

Se for este o motivo, posso dizer-te que adotei a técnica de despachar todas as tarefas que menos me agradam em primeira mão, para depois no resto do tempo ficar a fazer o que realmente mais me agrada.

  • Podes estar a organizar o teu tempo de forma pouco eficiente.

Para ultrapassares este obstáculo podes tentar criar listas de tarefas, por ordem de prioridades, urgências e datas em que devem estar cumpridas.

Também podes definir o tempo médio de execução de cada uma das tarefas.

  • Se conseguires, divide as tarefas que demoram muito tempo e sejam mais desagradáveis para ti, em várias tarefas mais pequenas que possas ir executando faseadamente, intermediando com tarefas que te deem mais prazer. Mas tens que ser disciplinada.

Desta forma conseguirás organizar melhor o teu tempo e provavelmente também te sentirás mais motivada, pois conseguirás terminar os teus projetos.

Também pode funcionar premiares-te sempre que acabas uma tarefa exatamente no prazo que estipulaste. Ex: Comprar aqueles sapatos que andas a namorar há tanto tempo.

Fica atenta ao que sentes quando terminas as tarefas a que te propuseste dentro do prazo que estabeleceste. A sensação é fantástica.

A mim também me ajuda ter alguém próximo a “supervisionar” o meu progresso. As hipóteses de me auto-sabotar ficam reduzidas.

Estas são algumas estratégias que podes utilizar, mas tenho a certeza que com o tempo irás somar a estas as tuas próprias estratégias.

Sê perseverante! À medida que fores concretizando as tarefas sem procrastinar, mais motivação e confiança vais ganhando, tornando-se cada vez mais fácil eliminar este padrão.

Se o hábito de procrastinar já está a ter repercussões sérias na tua vida e não consegues alterar o paradigma sozinha, ESTÁ TUDO BEM…, procura ajuda especializada e acredito, que conseguirás alterar esse padrão de comportamento.

✨????❤

@orlanda_sampaio

Add A Comment